Editorial: Cadastro positivo

Interessante, muito interessante o tal cadastro positivo… antes era o negativo e o negativo secreto. Logo me veio a mente o valor dos fiscais, já que eles são os “cobradores de impostos” atuais, faz lembrar o personagem bíblico, Zaqueu. Alguém já disse que se todos fossem honestos, não precisaríamos de fiscais, concluo que nem de cadastro positivo ou negativo.

“Tendo Jesus entrado em Jericó, ia atravessando a cidade. Havia ali um homem chamado Zaqueu, o qual era chefe de publicanos e era rico. Este procurava ver quem era Jesus, e não podia, por causa da multidão, porque era de pequena estatura. E correndo adiante, subiu a um sicômoro a fim de vê-lo, porque havia de passar por ali. Quando Jesus chegou àquele lugar, olhou para cima e disse-lhe: Zaqueu, desce depressa; porque importa que eu fique hoje em tua casa. Desceu, pois, a toda a pressa, e o recebeu com alegria. Ao verem isso, todos murmuravam, dizendo: Entrou para ser hóspede de um homem pecador. Zaqueu, porém, levantando-se, disse ao Senhor: Eis aqui, Senhor, dou aos pobres metade dos meus bens; e se em alguma coisa tenho defraudado alguém, eu lho restituo quadruplicado. Disse-lhe Jesus: Hoje veio a salvação a esta casa, porquanto também este é filho de Abraão. Porque o Filho do homem veio buscar e salvar o que se havia perdido.” Lucas 1-10.

Ao sancionar a nova lei do cadastro positivo criou-se, em termos financeiros, mais uma casta, mais um divisor de águas, entre os que podem e os que não podem, já que nem sempre os que não pagam, não o fazem porque não querem, mas, a partir de agora não são positivos, portanto, são negativos, não existe mais o meio termo.

O que é preciso no Brasil é justiça, principalmente em termos financeiros. Talvez o ensino de Zaqueu seja mais que apropriado agora. Os juros são exorbitantes e os que são obrigados a contrair empréstimos estão seriamente comprometidos a ser insolventes por causa dos juros.

Que a política financeira seja revista. Excelente o artigo de Ladislau Dowbor que coloca muito bem esta questão: “Juros são a atual forma de explorar os mais pobres”, diz Ladislau Dowbor – Economista critica capitalismo financeiro e afirma que reduzir a desigualdade é prioridade em termos de “decência humana” – https://www.infomoney.com.br/blogs/economia-e-politica/um-brasil/post/7948379/juros-sao-a-atual-forma-de-explorar-os-mais-pobres-diz-ladislau-dowbor

O ser humano nasceu positivo e para ter sempre o cadastro positivo, com raras exceções.