Editorial de 15.10.2018

Por Vital Sousa

“O Brasil precisa do seu abraço!”

 

Entre as utopias, os pragmatismos e os programatismos…

Ore pelo Brasil!
O cenário atual do país propiciou desabrochar o sentimento do brasileiro de anticorrupção e o consequente anti-petismo, sendo esta a marca do primeiro turno das eleições presidenciais de 2018, refletindo a grande insatisfação do povo brasileiro.
Mas as mentiras, inclusive proferidas por pastores, alguns até bem intencionados, mas, usados pelos companheiros de partidos, outros mal intencionados, são marcas, infelizes, também, deste momento cruel da nossa história.
Não aprecio o PT, por razões pessoais, mas querer relacionar o Hadade da Palavra (Primeiro livro de Reis), péssimo governante, com o Haddad, candidato a Presidente do Brasil é, no mínimo, violentar à Palavra de Deus. Triste, também, é achar que o Jair da Palavra de Deus (Livro de Juízes) tenha algo com o Jair, candidato a Presidente do Brasil em 2018. “Este foi adversário de Israel por todos os dias de Salomão, fez-lhe mal como Hadade, detestava a Israel e reinava sobre a Síria”. 1 Reis 11:25 e “Depois dele, se levantou Jair, gileadita, e julgou a Israel vinte e dois anos” (Juízes 10:3), livro este do século VI a.c. e possivelmente escrito pelo Profeta Samuel. Já o livro de Juízes é atribuído a Jeremias, também do século VI AC. Isto é Velho Testamento, Bíblia/Israel, não é Brasil 2018.
Mais triste ainda é um pastor – de esquerda – escrever que a “a igreja se prostituiu, cansou de esperar o Noivo e anda saindo com os políticos”, nunca vi uma frase tão incoerente, por mais que muitos se contaminem com a má política, ao generalizar e julgar, se perde a essência teológica do Noivo e da função da igreja que o Noivo deixou na terra.
O sonho político, as chamadas utopias, nunca acabam, mas cada vez mais estamos sendo obrigados a ser pragmáticos e programáticos.
Sempre me recusei ao pragmatismo frio e calculista, estratégico, ao estilo de Maquiavel. Para mim, uma espécie de anti-sonho. Os sonhos movem as pessoas e muitos conseguem vencer a partir deles. O brasileiro deixou de sonhar e com razão, mas, acredito que será por um curto prazo, sendo este até benéfico, funcionando como um momento sabático, assim como necessitamos, em determinados momentos de nossa vida. O brasileiro está mais pragmático. Alguns rotulam com um certo ceticismo, na catarse coletiva do anti-petismo. Não percebo assim, pois ainda acredito no ser humano, na democracia, com os pés mais no chão; pois, ao abandonar as utopias de esquerda, o programatismo se instala, todos querem saber como se fará, lembrando e muito a lide do jornalismo: o que, quem, quando, onde, como e por que… O brasileiro mudou e quer respostas. E pra já. E os novos políticos sabem disso, se não corresponderem serão substituídos na próxima eleição, é a máxima que está proposta no cenário, os atores podem mudar, de acordo com a vontade do povo. Mudança, compromisso.
É chegado mais um momento de reflexão e decisão, onde se escolherá o governante para nação, não é pouca coisa, parece trivial, mas, não o é.Quem não gostaria, neste momento, de passear acima das vicissitudes, como um beija-flor, e ir passar uns dias numa praia paradisíaca do Nordeste brasileiro, como Jericoacoara que fica em Jijoca no Ceará? Só os nomes já dão o refrigério poético n’alma. Mas, agora é a eleição e eis-me aqui…
Eis-me aqui para analisar o melhor para a Nação, para o Estado, para mim, para os meus filhos, para os meus netos, para os meus amigos, para os meus inimigos…
Eis-me aqui para deixar a intolerância de lado, buscar o diálogo respeitando a divergência do próximo, buscar na pureza, na meiguice das crianças o norte para escolher o melhor, lembrando este dia das crianças, sem fanatismos, afinal, não estamos diante de um jogo de futebol.
O Brasil precisa do seu abraço!
Não abandonemos, jamais, nossas utopias. Encerro, pois, com um verso de Mário Quintana:
DAS UTOPIAS
“Se as coisas são inatingíveis… ora!
Não é motivo para não querê-las…
Que tristes os caminhos, se não fora
A presença distante das estrelas!”